TCE-AM faz auditoria, via satélite, em municípios de Barreirinha e Tefé

       

O Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE/AM), por meio de determinação do Plenário da Corte e diretriz da Conselheira Presidente Yara Lins, iniciou nesta semana fiscalizações à distância nos municípios de Barreirinha e Tefé.

A denominada Teleauditoria, que utiliza banda de satélite cedida pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e softwares de comunicação à distância, dentre outras ferramentas tecnológicas, administrativas e jurídicas, é um projeto sugerido pelos servidores Stanley Leite e Brian Belleza e abraçado pela alta administração da Corte, cujo piloto fora executado, de forma exitosa, ainda em 2017.

Com grande apelo ambiental visto que praticamente dispensa a necessidade de impressão de documentos e papéis de trabalho utilizados na aferição da Corte, referido sistema ainda tem o condão de economizar os recursos orçamentários alocados à ação fiscalizatória em uma ordem superior a 40%. O projeto, ademais, consta no banco de práticas do prêmio innovare – reconhecimento obtido em março de 2019.

Tanto para barreirinha quanto para Tefé teremos três encontros ou sessões de fiscalização entre os Auditores da Corte e os jurisdicionados no interior. No primeiro os técnicos se apresentam, interpõem os respectivos termos de abertura de fiscalização e solicitam os documentos necessários ao escrutínio. Após ocorrerá um encontro para solução de dúvidas e confirmação do envio dos papéis de trabalho anteriormente solicitados, finalizando-se a fiscalização com a interposição de eventual Notificação e dos termos de finalização respectivos.

O envio de documentos é feito eletronicamente, conforme figura abaixo, mediante uso de sistema projetado internamente à Corte pela Diretoria de Tecnologia da informação (DITIN).

Como o sistema de fiscalização à distância aplica-se a auditorias com foco documental, os engenheiros ainda terão que ir a campo para fins de executar a vistoria física nas obras e serviços de engenharia, porém suas estadas no interior serão bem mais curtas visto que parte dos trabalhos serão levados a efeito por meio do SFD.

A previsão é de que a Secex realize mais auditorias à distância, em municípios que tenham capacidade técnica e administrativa de realizar teleconferências e que sejam distantes da sede da Corte de forma a justificar a utilização de referido sistema.